REDE CAXIAS TV: A Netflix não tem sede física no Brasil e nem praticamente nenhum outro país do mundo, exceto os EUA e algumas localidades na Europa; há um escritório em Alphaville, com uma assessoria, mas não chega a ser uma sede. A empresa tem cerca de 50 funcionários "registrados" no Brasil: 50 profissionais de diversas áreas, como advogados (especializados em direitos autorais), publicitários, executivos e alguns negociadores de conteúdo com terceiros Apesar de ter 50 funcionários, a Netflix não tem nenhum chefe, gerente ou diretor. Fora dos EUA a empresa opta por um sistema de "gestão" horizontal e descentralizada. Se a empresa tiver algum problema no Brasil ou em outro país é preciso entrar em contato com a chefia nos EUA; A Netflix vai terminar 2018 com mais de 8 milhões de assinantes no Brasil, o que representa cerca de 6% de sua base de assinantes no mundo. Isso significa --numa estimativa conservadora-- mais de R$ 1,4 bilhão de faturamento por ano no país. Isso é quase 50% a mais do faturamento de um SBT, por exemplo. Comparativamente o serviço de streaming já se aproxima do público da maior operadora de TV paga, a Net Claro, que tem 8,7 milhões de assinantes. Já passou há tempos a Sky (5,4 milhões)

Total de visualizações ao site

A Netflix não tem sede física no Brasil e nem praticamente nenhum outro país do mundo, exceto os EUA e algumas localidades na Europa; há um escritório em Alphaville, com uma assessoria, mas não chega a ser uma sede. A empresa tem cerca de 50 funcionários "registrados" no Brasil: 50 profissionais de diversas áreas, como advogados (especializados em direitos autorais), publicitários, executivos e alguns negociadores de conteúdo com terceiros Apesar de ter 50 funcionários, a Netflix não tem nenhum chefe, gerente ou diretor. Fora dos EUA a empresa opta por um sistema de "gestão" horizontal e descentralizada. Se a empresa tiver algum problema no Brasil ou em outro país é preciso entrar em contato com a chefia nos EUA; A Netflix vai terminar 2018 com mais de 8 milhões de assinantes no Brasil, o que representa cerca de 6% de sua base de assinantes no mundo. Isso significa --numa estimativa conservadora-- mais de R$ 1,4 bilhão de faturamento por ano no país. Isso é quase 50% a mais do faturamento de um SBT, por exemplo. Comparativamente o serviço de streaming já se aproxima do público da maior operadora de TV paga, a Net Claro, que tem 8,7 milhões de assinantes. Já passou há tempos a Sky (5,4 milhões)

Nenhum comentário:

Postar um comentário