ao vivo rede caxias tv

Total de visualizações de página

domingo, 22 de abril de 2018

'Injustiça’, dizem artista circense solto e Defensoria Pública sobre prisões em festa na Zona Oeste do Rio spetáculo de injustiça”. Foi dessa forma que a Defensoria Pública do Rio de Janeiro classificou a operação de Polícia Civil que resultou na prisão de 159 pessoas acusadas de serem integrantes de grupos de milicianos em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. A afirmação foi feita na manhã deste domingo (22) pelo defensor-geral, André Castro, durante entrevista coletiva. O artista circense Pablo Dias Bessa Martins, preso durante a operação e liberado na tarde deste sábado (21), também estava presente. Ele falou sobre os 14 dias que passou no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu.
“Tem amigos meus lá dentro que estão sendo acusados injustamente. Às vezes eu fico com receio de falar e as pessoas falarem ‘só o Pablo saiu’. Mas isso também é uma injustiça. Eu queria que todo mundo, os 140, 159 comigo. Eu queria poder trazer todo mundo. Injustiça é uma palavra muito forte, e isso foi cometido com a gente e com os meus amigos”, explicou Pablo. O artista foi o primeiro a ser solto do grupo de 159 detidos. De acordo com a decisão do juiz Eduardo Marques Hablitschek, da 2ª Vara Criminal de Santa Cruz, Pablo é "réu primário, não possui antecedentes criminais, tem residência fixa e é profissional circense". Ele pretende retomar a carreira após as duas semanas preso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário