REDE CAXIAS TV: PODEREMOS FICAR SEM UMA DAS GRANDES NO DESFILE DO RJ.
RD25NOTÍCIAS

Total de visualizações de página

PODEREMOS FICAR SEM UMA DAS GRANDES NO DESFILE DO RJ.

Caprichosos de Pilares pode ficar de fora do carnaval do Rio pela primeira vez em quase 70 anos

Liga das Escolas de Samba do Brasil (Liesb) explica que a agremiação não pode desfilar sem ter uma ata registrada. Escola está no grupo C e desfilaria na Estrada Intendente Magalhães.



CONTEÚDO:G1/GLOBO







Caprichosos de Pilares pode não desfilar no carnaval 2018 do Rio de Janeiro

Uma briga judicial que envolve o ex-presidente da escola Gilberto Nilo e o atual presidente, Carlos Leandro, impede que a escola tenha um representante oficial. A ata da última eleição da escola não pôde ser registrada devido à burocracia que envolve a ação judicial.

De acordo com o presidente Carlos Leandro, na manhã desta segunda-feira (5), ele vai tentar despachar o recurso da ação judicial com um desembargador, alegando uma situação emergencial, já que a escola está impedida de desfilar.

"Para desfilar, a escola tem que apresentar documentação porque temos que prestar contas com a prefeitura. A escola, atualmente, não tem presidência oficial, nem segurança jurídica para desfilar. Precisamos de uma ata registrada com nome do presidente, nome do vice, e toda a definição da escola. Existe uma briga política na justiça que impede essa definição. Por toda essa insegurança jurídica, não podemos liberar", explica Gustavo Barros, presidente da Liesb.

Rebaixamento automático

Sem desfilar esse ano, a Caprichosos é automaticamente rebaixada para o grupo D e a Liesb devolverá a verba que recebeu pela escola, cerca de R$ 40 mil, para a RioTur.

Carlos Leandro lamenta a decisão e diz que ainda tem esperanças de desfilar. "É uma tristeza profunda, mas vou tentar até o último dia reverter essa situação".

Ele acusa Gilberto Nilo de ter participado da emissão de 64 títulos ilegais em 2013. Esses titulares teriam ajudado Nilo a permanecer no poder da escola por mais tempo que o permitido. A briga judicial já dura 5 anos."Nilo ficou ilegalmente no poder de 2014 a 2017, porque em 2014 esses títulos foram suspensos pela Justiça. Ano passado, teve eleição e fui eleito sem chapa concorrente. Desde então, tenho investido recursos próprios e buscando parcerias para manter isso tudo de pé", justifica Carlos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário