quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Delegado diz que Damião Soares dos Santos tinha mania de perseguição; polícia encontrou cartas e galões com álcool na casa do vigia. Ele colocou fogo em creche - quatro crianças morreram.

 Perícia indica que ele trancou portas antes de atear fogo

CONTEÚDO:G1/Globo


Vigia sofria mania de perseguição e premeditou crime, diz polícia (Foto: Reprodução/Facebool)

O vigia noturno que ateou fogo em uma creche em Janaúba disse a familiares que "essa semana iria morrer", afirmou nesta quinta-feira (5) o delegado Bruno Fernandes Barbosa. Ainda de acordo com o delegado, uma perícia constatou que Damião Soares dos Santos, de 50 anos, trancou as portas da creche antes de incendiar o local. Ele jogou álcool nas crianças e nele mesmo e, em seguida, colocou fogo. Quatro crianças de 4 anos morreram.

O delegado disse ao G1, após entrevistar familiares do vigia, que desde 2014 ele já apresentava "sinais de loucura". "Ele alegava que a mãe dele estava envenenando a água, e que isso estava trazendo problemas", disse Bruno.

Segundo o delegado, uma sobrinha de Damião disse que o tio falou esta semana que iria morrer. Após atear fogo na creche, o vigia chegou a ser internado, mas morreu no hospital algumas horas depois.

Ainda segundo informações dadas pela família à polícia, Damião estava sem trabalhar há oito dias e estava desaparecido - por isso, a diretora da creche pediu que ele levasse o atestado médico ao trabalho.

Morre vigia de creche que ateou fogo e matou quatro crianças em MG

"Hoje de manhã a diretora pediu que ele levasse o atestado, e ele disse que não precisava se preocupar com ele, porque ele era um sujeito sozinho. Porém, ele chegou na creche, de mochila, nem tirou o capacete, fechou as portas e já ateou fogo em uma funcionária que estava na cozinha", conta o delegado.

A perícia indica que ele fechou três salas da creche, onde havia entre 55 e 60 pessoas, segundo o delegado Bruno. O homem teria ainda segurado as crianças, impedindo que elas saíssem. Uma professora tentou conter a ação de Damião e chegou a lutar com ele; ela está internada em estado grave em um hospital.

"Tenho plena convicção de que o crime foi premeditado, ele escolheu a data de dia 5 de outubro porque o pai dele morreu no dia 5 de outubro, há três anos", disse o delegado.


Polícia apreendeu várias cartas deixadas pelo autor (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

Na casa de Damião, a polícia encontrou cartas escritas por ele, nas quais dizia ter predileção e afeto por crianças. Também foram achados galões de combustível. "Encontramos seis ou sete galões de cinco litros com álcool", disse o delegado.

"Apesar de não morar com família, e ter escolhido viver isoladamente, Damião se reaproximou da mãe nos últimos dias, dormiu com ela, e disse à uma sobrinha que iria dar um presente para a família, que iria morrer", contou Barbosa.


Na casa de Damião foram apreendidos diversos galões com álcool (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

Vítimas

Segundo o Instituto Médico-Legal da cidade, morreram no ataque:

Ana Clara Ferreira Silva, 4 anosLuiz Davi Carlos Rodrigues, 4 anosJuan Pablo Cruz dos Santos, 4 anosJuan Miguel Soares Silva, 4 anos

Segundo balanço do Corpo de Bombeiros divulgado às 19h43 desta quinta, ao menos 26 pessoas permaneciam internadas em hospitais de Janaúba, Montes Claros e Belo Horizonte, sendo três adultos e 23 crianças; todos os adultos estão no Hospital Regional de Janaúba.

Ainda segundo os bombeiros, ao menos 10 crianças estão internadas no Hospital Santa Casa de Montes Claros. Elas apresentaram queimaduras pelo corpo e vias aéreas; uma das vítimas, de 5 anos, teve 45% do corpo queimado. Outros seis alunos da creche devem chegar a Belo Horizonte ainda nesta quinta.

POLICIAS RECUPERAM MOTO E APREENDE ARMA NO GRAMACHO 04/10/2017.

CONTEÚDO: 15°BPM

Equipe em patrulhamento pela localidade teve a atenção voltada para um casal em uma moto, apos abordagem da guarnição a equipe obteve êxito em apreender com os mesmos:

01 - Revolver Calibre .38

Ocorrência encaminhada a 59°DP

Mega-Sena: aposta de Assis (SP) levou sozinha mais de R$ 54 milhões

Veja as dezenas sorteadas: 04 - 19 - 27 - 38 - 54 - 57. Quina teve 141 ganhadores; cada um deles receberá R$ 27.566,76.


Mega-Sena: aposta de Assis (SP) levou sozinha mais de R$ 54 milhões (Foto: Heloise Hamada/G1)

Uma única aposta, feita em Assis (SP), levou sozinha um prêmio de R$ 54.268.048,74 no concurso 1.974 da Mega-Sena. O sorteio ocorreu nesta quarta (4) no município de Itapiranga (SC).

Veja as dezenas sorteadas: 04 - 19 - 27 - 38 - 54 - 57.

Ao todo, 141 apostas acertaram a quina; cada uma irá ganhar R$ 27.566,76 . Outras 8.994 apostas faturaram a quadra --e levarão R$ 617,38 cada uma.

Para o próximo concurso (1975), no sábado (7), o prêmio é estimado em R$ 22 milhões.

POLICIAS APREENDEM DROGAS NA COMUNIDADE DA VILA OPERARIA 03/10/2017

Equipe em patrulhamento a fim de reprimir tráfico de drogas, as guarnições dos Grupamento de Ações táticas, quando no interior da comunidade conhecida como areal se deparou com um elemento tentando se evadir, ato contínuo foi feito o cerco, e assim logrando êxito em prender o elemento com :

Material apreendido:

89 pinos de cocaína

175 trouxinhas de maconha

1 Rádio transmissor

Ocorrência encaminhada a 59° DP

Nuzman e ex-diretor de Comitê Olímpíco são presos por suspeita de fraude na escolha da Rio 2016

RIO DE JANEIRO

Carlos Arthur Nuzman e Leonardo Gryner foram presos, no início da manhã desta quinta-feira, em endereços da Zona Sul da cidade. PF e MPF investigam compra de jurados para a eleição da sede olímpica.

CONTEÚDO:G1/GLOBO

Carlos Arthus Nuzman é preso no Rio

Agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal prenderam Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, e Leonardo Gryner, ex-diretor de operações do comitê Rio 2016 e braço-direito de Nuzman, na manhã desta quinta-feira (5), na Zona Sul do Rio.

Nuzman é suspeito de intermediar a compra de votos de integrantes do Comitê Olímpíco Internacional (COI) para a eleição do Rio como sede da Olimpíada de 2016. Ele foi preso em casa, no Leblon, por volta das 6h. Nuzman é presidente do COB há 22 anos. O pedido de prisão foi decretada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

O pedido de prisão foi decretado porque houve uma tentativa de ocultação de bens no último mês, após a polícia ter cumprido um mandado de busca na casa de Nuzman no mês passado. A ação é um desdobramento da "Unfair Play", uma menção a jogo sujo e que é mais uma etapa da Lava Jato no Rio. Os presos serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O esquema de corrupção, segundo os investigadores, tem a participação do ex-governador Sérgio Cabral. O dinheiro teria vindo do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, conhecido como Rei Arthur, que também teve mandado de prisão decretado, mas está foragido da justiça.

Gryner foi preso em casa, em um apartamento de luxo em Laranjeiras, na Zona Sul. Ex-diretor do COB, ele também foi diretor de Comunicação e Marketing da candidatura do Rio à sede olímpica, e teve encontros com o filho do presidente da Federação Internacional de Atletismo, suspeito de ter recebido propina para votar no Rio de Janeiro como sede dos jogos.

Segundo os investigadores, as provas colhidas na primeira etapa da “Unfair Play” mostram evidências de que Nuzman e Gryner foram os agentes responsáveis por fazer a ligação entre o esquema de propinas de Cabral e membros africanos do COI, por meio de Arthur Soares.


Carro da Polícia Federal na porta da casa de Carlos Arthur Nuzman. (Foto: Fernanda Rouvenat/ G1)

Em março, o jornal francês “Le Monde” havia denunciado que, três dias antes da escolha da cidade, houve pagamento de propina a dirigentes do Comitê Olímpico Internacional.

A investigação francesa conseguiu reunir elementos que apontam que a empresa Matlock foi utilizada para pagamento de US$ 2 milhões a Papa Diack, filho de um dirigente africano que detinha poder de voto para a escolha da cidade sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Segundos os investigadores, a Matlock também foi usada para pagamento de propina a Sérgio Cabral. De acordo com depoimento do doleiro e delator Renato Chebar, documentos encaminhados por meio de cooperação internacional com Antígua e Barbuda não deixam dúvidas de quem era o real proprietário da empresa que tinha sede registrada nas Ilhas Virgens Britânicas: Arthur César de Menezes Soares Filhos.

No mês passado, o Ministério Público Federal (MPF) pediu o bloqueio de até R$ 1 bilhão do patrimônio de Carlos Arthur Nuzman, do empresário Arthur Cesar Soares de Menezes Filho, o "Rei Arthur", e de Eliane Pereira Cavalcante, ex-sócia do empresário. O objetivo, segundo procuradores, era reparar os danos causados pelo trio devido às proporções mundiais da acusação.


O presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, prestou depoimento na PF em setembro. (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)

Organização criminosa internacional

De acordo com o Ministério Público, as fronteiras internacionais não limitaram a atuação da organização criminosa do ex-governador Sérgio Cabral. Para os procuradores, “trata-se de um esquema altamente sofisticado, que agia internacionalmente com desenvoltura e uma engenhosa e complexa relação corrupta”. Prova disso é que, para alcançar o atual estágio da investigação, o MPF teve que realizar pedidos de cooperação jurídica internacional com nada menos que quatro países diferentes: Antígua e Barbuda, França, Estados Unidos e Reino Unido.

Durante as investigações, o Ministério Público Francês colheu substancioso material para demonstrar que houve compra de votos para escolha da sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Um dos votos foi comprado de Lamine Diack, então presidente da Federação Internacional de Atletismo e então membro do Comitê Olímpico Internacional, por meio de seu filho, Papa Massata Diack.


Carro da PF na porta da casa o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman. (Foto: Fernanda Rouvenat/ G1)

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Ataque deixou 58 mortos e mais de 500 feridos. Atirador se matou em quarto de hotel, de onde disparou contra multidão.

Paddock, o atirador de Las Vegas

Conteúdo: G1


Foto de Stephen Paddock, suspeito de ter atirado contra multidão em Las Vegas, divulgada pelas redes CNN e a ABC (Foto: Reprodução JH/ G1)

Stephen Paddock, o homem que matou pelo menos 58 pessoas e feriu mais de 500 durante um festival de música country em Las Vegas era um aposentado sem histórico criminal no condado de Nevada, onde vivia atualmente, segundo informações da polícia reproduzidas pela agência Associated Press.

O irmão de Stephen Paddock, 64, disse estar "completamente atordoado" pelo incidente de autoria o irmão, afirmou o jornal "Orlando Sentinel". "Nós não conseguimos entender o que aconteceu", disse Eric Paddock à publicação. Ainda de acordo com Eric, o irmão não era um homem violento.

domingo, 1 de outubro de 2017

Mega acumula pela oitava vez seguida.

CONTEÚDO: CLAUDIO PORTUGAL /REDE CAXIAS

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.973 da Mega-Sena, sorteado neste sábado (30) em Jundiaí (SP). Os números premiados são: 01 - 12 - 16 - 17 - 52 - 60.

Com isso, a Mega acumula pela oitava vez seguida, e o prêmio estimado para o próximo sorteio, na quarta (3), é de R$ 55 milhões.

Polícia prende trio suspeito de aplicar golpe do 'Boa Noite, Cinderela' 

RIO DE JANEIRO Polícia prende trio suspeito de aplicar golpe do 'Boa Noite, Cinderela' em Niterói, RJ Segundo a polícia, mulheres e ...