quarta-feira, 21 de junho de 2017

Como dezenas de pessoas morreram em estrada em meio ao incêndio florestal em PortugalSegundo as autoridades locais, ainda não há uma explicação clara, mas as vítimas podem ter sido surpreendidas pela rapidez das chamas, propagadas pelos fortes ventos que sopravam no local.

O incêndio que devasta a região central de Portugal desde sábado (17) provocou a morte de 64 pessoas. Delas, 47 morreram carbonizadas na Estrada Nacional 236 (EN 236-1), que liga Figueiró a Castanheira de Pera. Uma estrada que a mídia portuguesa já apelidou de “estrada da morte”, pois os restos das vítimas foram encontrados num trecho de menos de 500 metros, em volta do cruzamento com outra estrada, a IC 8, que liga Pedrógão Grande com a EN 236-1.
Das 47 vítimas encontradas na EN 236-1, 30 estavam dentro dos seus carros e 17 fora deles ou à beira da estrada, o que sugere que tentaram fugir das chamas. A maioria das vítimas foi surpreendida pelo fogo e encurralada pelo incêndio quando voltava da praia fluvial das Rocas, em Castanheira de Pera.
Segundo as autoridades portuguesas, muitos morreram por inalação de fumaça. Em alguns casos, tratavam-se de famílias inteiras. Dezenas de carros foram encontrados na estrada, carbonizados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUES